Caso 44: laboratório

Ver caso clínico >

MOTIVO DA CONSULTA:
A paciente mostrava insatisfação com a instabilidade da prótese inferior e manifestou também o desejo de fazer um tratamento pouco dispendioso.

DIAGNÓSTICO:
Paciente do sexo feminino, com 52 anos de idade, não fumadora. Apresentava em boca apenas os dentes 3.3,3.4 e 4.3. Os dentes apresentavam-se com tratamento endodôntico e extensas restaurações a resina composta. Era portadora de duas próteses acrílicas removíveis. A superior já tinha sido sujeita a um rebasamento e apresentava-se com uma retenção capaz. A inferior estava muito desadaptada e mostrava pouca retenção. A paciente tinha boa higiene oral.

PLANO DE TRATAMENTO:
Por condicionantes de ordem financeira foi proposto á paciente a solução mais económica para estabilizar a prótese inferior, fazendo uma sobre dentadura acrílica retida por dois implantes. O plano de tratamento apresentado consistia em extrair os dentes remanescentes e de forma imediata colocar 2 implantes na zona dos caninos inferiores. Os dentes extraídos seriam acrescentados na prótese pré-existente, sendo esta rebasada com acondicionador de tecidos sobre os parafusos de cicatrização. Após a osteointegração ficaram em aberto as 3 hipóteses de retenção da prótese. Assim seriam confecionadas as 3 hipóteses e a paciente escolheria a que mais a agradaria. As 3 soluções apresentadas seriam, 2 mecanismos de retenção individual, o Locator Implant ZEST® e o Novaloc® e uma barra de Akerman.

NOTAS DA COLABORAÇÃO “MÉDICO DENTISTA & TÉCNICO DE PRÓTESE DENTÁRIA”:
Após estudo imagiológico e prostodontico para a colocação dos implantes, foi realizada a cirurgia. Antes da extração dos dentes e colocação dos implantes fizemos uma pré-impressão em alginato para acrescento no laboratório dos 3 dentes a extrair. Foram colocados os dois implantes no local dos caninos inferiores, tento o cuidado de ficarem paralelos e colocados ao mesmo nível no plano horizontal e antero - posterior. Após colocação dos parafusos de cicatrização e realizada a sutura, a prótese foi rebasada com acondicionador de tecidos. Passados dois meses, e verificada a osteointegração dos implantes foi feita a primeira impressão. Esta impressão foi feita com a técnica de moldeira aberta, utilizando moldeira standard e silicones de consistência putty -soft e regular. Esta impressão deu origem ao primeiro modelo de trabalho onde foram confecionadas ceras de mordida aparafusáveis aos implantes com base estabilizada em acrílico. Foi também confecionada uma moldeira individual aberta com tops de assentamento para realização de uma impressão funcional definitiva. Em boca foram aparafusadas as ceras de articulação aos implantes e recolhida uma correta Dimensão Vertical da Oclusão bem como registada a relação intermaxilar. A moldeira individual aberta permitiu fazer uma impressão funcional dos tecidos moles com silicone de consistência fluida. Em laboratório foram montados os dentes de prótese e posteriormente foi realizada em boca a prova de dentes podendo esta ser aparafusada sobre os implantes. Feita a aprovação estética, oclusal e funcional desta prova, em laboratório foi confecionada uma muralha de silicone que orientou a confeção definitiva das 3 hipótese de reabilitação. A primeira a ser confecionada foi a barra de Akerman. Na barra de Akerman a secção da barra deve ser redonda ou ovalada para permitir um ligeiro movimento de rotação frontal da base protética. A rotação dos cavalitos, encaixados na sobre dentadura com barra compensa a elasticidade da mucosa nos sectores posteriores, assim a barra deve ser reta e paralela ao plano oclusal para permitir um eixo de rotação paralelo ao eixo que passa pelo centro de rotação dos condilos mandibulares. Neste caso, procurando aumentar a retenção e tornar a prótese mais implanto-suportada a barra apresentava duas extensões distais aos implantes e os cavalitos foram colocados nesta zona. A barra foi provada em boca verificando-se o seu assentamento passivo e o controlo imagiológico validou este procedimento. No laboratório foi finalizado o trabalho, acrilizando a prótese removível e inserindo os cavalitos. A segunda hipótese a ser confecionada foram os Locators. O Locator Implant ZEST® é um encaixe supra gengival de eixo resiliente para sobre dentaduras sobre implantes. O sistema locator implant é constituído por 2 elementos: um metálico, Locator Abutment, que se aparafusa diretamente sobre o implante e uma cápsula metálica que é colocada sobre a prótese e contem a retenção de Nylon. Neste caso o trabalho não necessitou de qualquer tipo de prova, feita a acrilização da prótese e a inclusão da cápsula metálica no laboratório o trabalho foi enviado para colocação definitiva em boca. A sua colocação em boca implica o aparafusamento do Locator Abutment® aos implantes com um torque de 35 N, utilizando uma chave especial. A última hipótese a ser confecionada foram os Novalocs®. O sistema retentivo Novaloc® para sobre dentaduras apresenta um revestimento à base de carbono (carbono amorfo tipo diamante) para pilares, com uma boa resistência ao desgaste, colmatando até 60° de divergência de implante. Estão disponíveis pilares retos e angulados a 15° para várias alturas de gengiva, abrangendo várias situações clinicas. Esta hipótese, tal como a anterior, não necessita de qualquer tipo de prova, feita a acrilização da prótese e a inclusão da cápsula metálica no laboratório o trabalho é enviado para colocação definitiva em boca. A sua colocação em boca implica o aparafusamento do Novaloc® aos implantes com um torque de 35 N, utilizando a chave SCS. Todas as hipóteses de reabilitação foram experimentadas pela paciente, tendo ela própria escolhido o sistema retentivo Novaloc® como tratamento definitivo.