Caso 7: laboratório

Ver caso clínico >

MOTIVO DA CONSULTA:
A paciente apresentava os dentes 41 e 31 com uma enorme mobilidade e pretendia reabilitar a zona com dentes fixos.


DIAGNÓSTICO:
Paciente do sexo feminino com 56 anos de idade, fumadora. Apresentava os dentes 41 e 31 com mobilidade grau 3. Os dentes 42 e 32 apresentavam-se vitais e sem mobilidade. Feitos os exames complementares foi confirmada a extracção indicada dos incisivos centrais inferiores.


PLANO DE TRATAMENTO:
Tratando-se de uma zona estética foi decidido de imediato ferulizar as coroas dos dente 41 e 31 aos dentes vizinhos com o auxilio de uma rede metálica.
Após esta intervenção foi proposto o seguinte:
Extração das raízes dos dentes 41 e 31 mantendo as coroas dos mesmos dentes como situação provisória.
Passados dois meses realizar uma TAC e planificar a colocação de um implante e o tipo de regeneração óssea a realizar. A hipótese da colocação de dois implantes foi de inicio abandonada por falta de espaço mesio-distal da zona.
Após dois meses da colocação do implante e da R.O.G iniciar-se ia a confecção de uma ponte metalo-cerâmica de dois elementos aparafusada sobre o implante.


NOTAS DA COLABORAÇÃO ”MÉDICO DENTISTA & TÉCNICO DE PRÓTESE DENTÁRIA”:
Após a osteointegração do implante o caso foi avaliado novamente em conjunto, Médico e Técnico. Perante o tipo de deformidade dos tecidos moles foi decidido o desenho da infra-estrutura de acordo com a posterior colocação de cerâmica gengival. Foi utilizado um pilar em ouro de conexão interna com o calcinável correspondente. A infra-estrutura em ouro mostrou-se irrepreensivelmente adaptada em boca, sendo comprovado o seu assentamento tanto clinica como imagiologicamente.