Caso 12: laboratório

Ver caso clínico >

MOTIVO DA CONSULTA:
A paciente não conseguia estabilizar, nem reter, a prótese acrílica inferior.

DIAGNÓSTICO:
Paciente do sexo feminino, com 57 anos de idade não fumadora. Portadora de prótese total removível superior e prótese parcial acrílica inferior. Os dentes 4.3/4.2/4.1/3.1 e 3.2 apresentam-se com extracção indicada. Os sectores posteriores da mandíbula apresentam significativa reabsorção óssea.

PLANO DE TRATAMENTO:
Após avaliação clinica e imagiológica, foram apresentadas e discutidas com a paciente várias formas de reabilitação. Foi decidido fazer a extracção das peças dentárias remanescentes e colocar dois implantes que com o “Sistema Locator” seriam responsáveis pela estabilização de uma prótese acrílica total inferior.

NOTAS DA COLABORAÇÃO “MÉDICO DENTISTA & TÉCNICO DE PRÓTESE DENTÁRIA”:
Colocados e osteo integrados os implantes foi feita uma primeira impressão utilizando uma técnica de moldeira aberta com dupla mistura e dupla viscosidade. Esta impressão foi vazada a gesso e utilizada para a confecção de uma moldeira individual com duas aberturas superiores para acesso aos transferes. Desta forma, utilizando a técnica de moldeira aberta, poderia ser feita uma impressão precisa aos implantes e simultaneamente fazer uma impressão funcional das selas. Nas selas foram colocados “tops”. As ceras de articulação inferior foram feitas utilizando uma base de acrílico onde foi incluído um transportador de implantes adaptado, no qual foi feita uma ranhura que permite aparafusá-lo ao implante. As ceras de articulação podem desta forma ser fixadas em boca aos implantes por aparafusamento. A impressão funcional foi realizada utilizando um silicone monofásico. As ceras de articulação aparafusadas foram acertadas em boca de acordo com as regras da prótese total. Particular cuidado foi tido com a dimensão vertical da oclusão e o apoio dos tecidos peri-orais. Foi utilizado um silicone de registo de mordida para definir melhor as relações inter-maxilares. A montagem dos dentes foi feita em laboratório de acordo com a cor escolhida. A prova de dentes permitiu ser avaliada de uma forma dinâmica pelo facto de poder ser aparafusada. Fez-se novamente o registo de mordida com silicone para fazer os acertos oclusais finais. Finalizada a prótese foram apertados os “locators” e escolhidas as fêmeas em plástico com a retenção adequada às necessidades da paciente.